quinta-feira, 23 de junho de 2011

O Jogo na concepção de Wallon




Henri Wallon
Imagem Google


Henri Wallon nasceu na França em 15 de Junho de 1879 e morreu em 1 de Dezembro de 1962. Foi médico, psicólogo e filósofo e desenvolveu teorias pedagógicas que contribuíram muito para a Educação.
Wallon sempre se interessou pelo funcionamento e desenvolvimento neurológico das crianças, e em 1914 quando serviu vários meses como médico do exército francês, o contato com lesões cerebrais sofridas por ex combatentes fez com que revirasse seus postulados neurológicos que havia desenvolvido no atendimento a crianças com deficiência. Assim em 1925 publicou a sua tese de doutorado A criança turbulenta, iniciando um período de intensa produção literária na área de psicologia da criança.
Segundo Wallon, o fator mais importante para a formação da personalidade não é o meio físico, mas sim o social. O autor acredita que a afetividade associada à motricidade, são as principais responsáveis pelo desenvolvimento psicológico da criança. Para o autor, a construção da personalidade é um processo progressivo, onde se realiza a integração da afetividade e da inteligência.
Para Wallon é fundamental que a criança tenha a oportunidade de brincar, pois é através do corpo que ela estabelece a primeira comunicação com o meio.
Wallon define o jogo como uma atividade voluntária da criança, diz que toda a atividade da criança é lúdica. Assim se um jogo é imposto, deixa de ser jogo.
Wallon classifica os jogos infantis em quatro categorias: jogos funcionais, jogos de ficção, jogos de aquisição e jogos de fabricação.
Os jogos funcionais caracterizam-se por movimentos simples de exploração do corpo, através dos sentidos. A criança descobre o prazer de executar as funções que a evolução da motricidade lhe possibilita. Quando a criança percebe os efeitos agradáveis e interessantes obtidos nas suas ações gestuais, sua tendência é procurar o prazer repetindo suas ações.
Os jogos de ficção são atividades lúdicas caracterizadas pela ênfase no faz de conta e na imaginação. É quando a criança assume papeis do seu contexto social, brincando de imitar o papai, a mamãe, a professora, o médico etc.
Os jogos de aquisição é quando a criança se empenha para compreender e conhecer: imitar canções, gestos, sons, imagens e histórias.
Os jogos de fabricação são jogos onde a criança realiza atividades manuais de criar, combinar, juntar e transformar objetos.
Nós achamos a concepção de jogo de Wallon muito interessante, além de contribuir bastante para a conscientização de que a aquisição de jogos e brincadeiras na educação infantil é fundamental para o desenvolvimento motor, psicológico, intelectual e social da criança.

2 comentários:

  1. olá, o texto acima tem alguma referencia?

    ResponderExcluir
  2. Interessante publicação!! A afetividade, segundo Wallon a explica, mostra sua relevância em diversos aspectos da vida do ser humano. Uma das importantes discussões é a relação entre afetividade e aprendizagem. Este foi o tema de uma pesquisa por mim desenvolvida, junto ao Prof. Dr. Sérgio Leite, da Faculdade de Educação da UNICAMP. Deixo aqui o link para o artigo publicado: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/2852/1954

    Caso interesse, mantenho também um blog sobre educação e tecnologias digitais: http://tecsedu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir